Vai mais corda no relógio aí cidadão?

Vai mais corda no relógio aí cidadão?
Diego Bian

Diego Bian

Diego é professor da rede publica, escritor e colunista deste veículo impresso e digital.

Não tenhamos pressa… mas não percamos tempo.” ( José Saramago)

Ei você ai lendo esse texto mequetrefe! Isso, você mesmo! Em primeiro lugar, um bom dia, se você tiver essa urgência! Pois é, urgência, a vida anda corrida e não sobra tempo para nada, não concorda? E é sobre isso que quero falar: a doença que consome a maioria das pessoas: o “stress”. Estamos todos doentes!

Vejo por mim, humilde professor. Há um semestre estava somente trabalhando, me dei de presente um semestre inteiro sem estudar, depois de longos quatro anos de faculdade. E mesmo assim, metade do meu dia era consumida pelo trabalho. Mas, claro, não dá para viver assim para todo o sempre… Voltei a estudar e pronto! Todo o tempo de lazer se foi…. Infelizmente isso também incluiu o tempo que eu dedicava aos meus 10 minutos de exercícios mensais, realmente o que mais lamento.

Vejam bem: hoje, a nossa vida é só acordar muito cedo, pegar um trânsito infernal para chegar onde precisamos ficar o dia inteiro na rua, voltar para casa muito tarde e cairmos na cama de cansaço. Isso quando não passamos parte da madrugada estudando ou trabalhando, ou mesmo vendo aquele filme brega na TV ou pior engata uma maratona de vídeos bobos no Youtube. Dorme-se pouco, corre-se muito! E deixamos o divertimento por último!

Temos que dar tudo de nós para conseguirmos conquistar o mínimo de conforto. E olha que no fim do mês, quando fazemos um balanço financeiro, acaba faltando dinheiro, e quando digo fim do mês, e nem preciso dizer que para a maioria dos brasileiros o mês tem 3 dias (do pagamento até o dinheiro acabar sumindo misteriosamente de nossas mãos). É de chorar ou não?

Amigos e amigas, será que vale a pena? Vale a pena todo esse desgaste diário, essa vida corrida que ocupa nosso tempo inteiro sem espaço para a felicidade? Até quando teremos que consumir nossas horas com estudo e trabalho somente?

Hoje, eu me preocupo em usar meus poucos minutinhos de tranquilidade com o que realmente importa na vida: o amor. Ocupar o máximo do meu tempo sossegado com minha família e meus amigos. Desfrutar ao máximo deles, o máximo do mínimo na verdade porque o mês de 3 dias vem ai! E pensar que, às vezes, desperdiçamos esse precioso tempinho reclamando da falta de tempo! Não dá para permitir que isso aconteça! Então meus companheiros leitores. Hoje estou trabalhando, mas, me permiti utilizar meia hora para escrever essa singela filosofia de boteco que vai chegando ao seu final! E espero ter conseguido dividir com vocês minha falta de tempo… E quem sabe sentir-me mais tranquilo por saber que outras pessoas estão na mesma situação.

Vai mais corda no relógio aí cidadão?

Do livro “Contos de ninguém para coisa alguma.Professor Diego Bian Filo Moreira

Vai mais corda no relógio aí cidadão?
Vai mais corda no relógio aí cidadão?

79 / 100

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print